Tela inicial do SIMMC

Tela inicial do SIMMC

Um termo de cooperação entre a UFPR e o Ministério das Comunicações (MC) possibilitou que a Universidade desenvolvesse um sistema exclusivo de monitoramento online dos projetos de inclusão digital implementados pelo órgão. Firmado em 2012 e desenvolvido até o ano passado, o Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério das Comunicações (SIMMC) já está em utilização e, nesta terça-feira (1º), foi reconhecido pela Controladoria Geral da União (CGU) como uma boa prática voltada à maior transparência e melhor gestão de instituições públicas.

A iniciativa desenvolvida pelo Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL) – grupo de pesquisa do Departamento de Informática da Universidade Federal do Paraná – e sob coordenação do professor Marcos Sfair Sunye, foi a vencedora do 3º Concurso de Boas Práticas da CGU, na categoria Promoção da Transparência Ativa ou Passiva. Estruturado dentro do conceito de software livre, o sistema pode ser auditado e também utilizado por outro órgão público que tenha uma política análoga à do Ministério.

O problema e a solução
As políticas públicas contêm uma exigência em relação ao beneficiário: ele deve utilizar de maneira adequada os bens e serviços fornecidos. No caso das iniciativas de inclusão digital do MC, normalmente a apuração em relação a essa exigência era feita presencialmente: o agente público ia até a localidade e averiguava o uso do equipamento ou serviço. Por se tratar de milhares de equipamentos e milhares de pontos de prestação de serviço, devia-se ainda adotar um procedimento amostral, distanciando o órgão de seu beneficiário direto.

Assim, considerando que o acompanhamento de uso de cada equipamento ou serviço em particular seria necessário – e antecipando-se muitas vezes à manifestações por parte dos órgãos e agentes de controle – buscou-se desenvolver uma solução que pudesse fornecer as informações requeridas de forma remota. Isso, obviamente, permitiria uma visão muito mais ampla e com um custo muito mais reduzido.

Coube então ao C3SL da UFPR o desafio de criar procedimentos mais adequados a essas exigências enfrentadas pela Secretaria de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações. Desta maneira, implementava-se a parceria institucional criadora do Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério das Comunicações.

Funcionamento
O SIMMC acompanha à distancia, e em tempo real, as informações de implantação e funcionamento de programas como os Telecentros, as Cidades Digitais e o Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac) . O Sistema é aberto e pode ser visto pela internet. O endereço é simmc.c3sl.ufpr.br.

Atualmente, o SIMMC faz análise do uso de rede de mais de 10 mil pontos de acesso. As informações podem ser obtidas por qualquer cidadão a partir de gráficos, mapas e relatórios.

Assim como todos os projetos desenvolvidos pelo C3SL, o Sistema é um software livre, ou seja, ainda permite a liberdade de execução, estudo, adaptação, redistribuição e aperfeiçoamento da ferramenta por quaisquer outros órgãos. “O C3SL acredita que a força da tecnologia não está no capital, mas na ética do compartilhamento”, afirma o grupo de pesquisa em seu site.

Fonte: Comunicação UFPR