Notícias

Grupo de pesquisa C3SL do setor de informática da UFPR celebra 20 anos

Programação vai relembrar e celebrar os 20 anos do Centro de Computação Científica e Software Livre

Nesta terça-feira (03/05), às 19h30, um seminário conduzido pelo Prof. Dr. Marcos Castilho (UFPR) vai celebrar e relembrar os 20 anos de atuação do Centro de Computação Científica e Software Livre, o C3SL. O momento faz parte do Fórum dos Programas de Pós-Graduação em Computação do Paraná, e a ideia é apresentar um resgate histórico da atuação do grupo, mostrando ideias, projetos executados, projeções e ainda, destacando o modelo de pesquisa com foco social realizado pelo grupo.

O C3SL possui atualmente 14 docentes e 38 estudantes bolsistas de graduação e pós-graduação que participam de pesquisas nas mais variadas áreas, sempre visando aprimorar e facilitar processos e serviços para empresas, instituições e órgãos públicos. Entre os propósitos do grupo, está também o de beneficiar a sociedade por meio da publicação em formato de software livre todo pacote de software resultante das pesquisas realizadas. 

Marcos Castilho é professor titular da UFPR e suas principais áreas de atuação são Inteligência Artificial e Software Livre, notadamente em projetos de inclusão digital para atendimento de políticas públicas. É coautor do livro Algoritmos e Estrutura de Dados I, disponível de forma aberta e gratuita.

A transmissão será aberta através do link: https://youtu.be/RjYMz-KT9Q8 

Departamento de Informática da UFPR lança maior Sistema de Monitoramento de Políticas Públicas com recorte étnico-racial do país

Iniciativa do C3SL, Simope contém dados sobre as mais variadas áreas e foi financiada pelo Governo Federal

Uma parceria do Centro de Computação Científica e Software Livre da Universidade Federal do Paraná – UFPR –, o C3SL, com a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, lançou neste ano o Simope – Sistema de Monitoramento de Políticas Étnicos-Raciais. A ferramenta reúne dados e indicadores de diversas plataformas como o CadÚnico, do Ministério da Cidadania, o Censo Escolar e o Censo da Educação Superior do Inep, da Funai, Incra e diversas outras bases de dados.

O projeto, que estava sendo desenvolvido pelo C3SL desde 2016 possui aproximadamente 300 gB. Em outras palavras, é possível dizer que o Simope reúne dados de todos os alunos, professores e instituições do ensino superior desde 2010. “Essa já era uma demanda do Governo Federal, que buscava um sistema de monitoramento de políticas públicas que funcionasse de forma evolutiva. Por meio de um convênio proposto pela UFPR foi possível chegar em um resultado de interesse mútuo, em que a Universidade também atingiu um ganho no que diz respeito às pesquisas acadêmicas em desenvolvimento de softwares e banco de dados”, explica Marcos Didonet, professor da UFPR e pesquisador que coordenou a pesquisa.

Além do pesquisador, diversos outros pesquisadores do Centro de Computação estiveram envolvidos, e o objetivo principal do projeto é fornecer dados que auxiliem no monitoramento de políticas públicas, dando visibilidade à população negra e comunidades tradicionais. “Nem sempre as plataformas disponíveis oferecem simplicidade na consulta, sobretudo quando se trata de uma grande quantidade de dados”, explica Didonet.

O sistema, que possui um Guia de Orientação de Uso, oferece em formas de tabelas e gráficos a evolução, por exemplo, do sistema de cotas para a população negra nas instituições de ensino superior. Além disso, é possível acompanhar a presença territorial de comunidades quilombolas, povos indígenas, povos ciganos, e informações com recorte étnico-racial relacionadas ao universo do trabalho, da educação e de políticas como o Fies e o Prouni. 

Atualização constante 

Para que possa ser uma ferramenta contínua de avaliação, os pesquisadores desenvolveram ainda uma plataforma que permite atualização constante, integrada às bases de dados utilizadas. “A maioria dos sistemas existentes nesse formato não oferecem dados sobre a evolução, no formato em que o Simope foi pensado. São sistemas fechados ou que não permitem evolução ou ainda auditoria”, conta Didonet.

Ainda, na plataforma, é possível observar a participação dos estados e municípios no Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir), e informações a respeito de projetos como editais públicos, emendas parlamentares, entre outros. “O C3SL possui longos anos de experiência em pesquisa e desenvolvimento em ciência da computação. Por isso, é possível realizar pesquisas de ponta, além da formação de alunos desde a graduação até o doutorado, enriquecendo assim a pesquisa científica e oferecendo ao poder público e, principalmente, à população, produtos e serviços que contribuem para o desenvolvimento da sociedade”, finalizou Didonet. 

Sobre o C3SL
O Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL) é um grupo de pesquisa do Departamento de Informática da UFPR, registrado no Diretório de grupos de pesquisa do CNPq. Realiza pesquisas que dialogam com diferentes áreas do conhecimento e que podem ser empregadas para aprimorar processos e serviços tanto para empresas quanto para instituições e órgãos públicos. 

As pesquisas do C3SL estão em diversas áreas da ciência da computação, como Banco de Dados, Engenharia de Software, Redes e Sistemas Distribuídos, Redes de Computadores e Inteligência Artificial. O grupo também atua na migração de sistemas proprietários para plataformas de software livre e na otimização de pessoal e de custos de soluções de hardware e software.

São seis linhas de pesquisa ativas, todas elas com diversos projetos em andamento ou já concluídos, os quais se encontram em uso pelas empresas ou órgãos solicitantes: Ciências Forenses Computacionais; Inteligência Artificial Aplicada; Medicina Assistida por Computação Científica; Preservação Digital; Sistemas Computacionais Avançados; Sistemas para Informática na Educação.

Os projetos realizados pelo grupo de pesquisadores são direcionados para a inclusão digital, buscando sempre beneficiar a sociedade brasileira de maneira geral. Assim, todo pacote de software que resulta destes estudos é publicado em forma de software livre.

Aprovados no processo seletivo 03/2022

Os candidatos abaixo foram aprovados no processo seletivo do C3SL (que teve início em 03/2022). Parabéns a todos!

O início das atividades será comunicado por email oportunamente.

Aprovados (em ordem alfabéticas):

  • Anderson Aparecido do Carmo Frasão
  • Arthur Henrique Canello Vilar
  • Artur Ricardo Bizon
  • Dante Eleuterio dos Santos
  • Diogo Henrique de Almeida
  • Fernando Gbur dos Santos
  • Guilherme Carbonari Boneti
  • João Pedro Kieras Oliveira
  • Leon Augusto Okida Gonçalves
  • Lewis Guilherme Theophilo Geraldo
  • Luan Matheus Trindade Dalmazo
  • Lucas Soni Teixeira
  • Marcus Vinícius Reisdoefer Pereira
  • Muriki Gusmão Yamanaka
  • Odair Mario Ditkun Junior
  • Pedro Willian Aguiar
  • Thalita Maria do Nascimento
  • Thomas Bianchi Todt
  • Vinícius Hideyoshi Correa Yoshida
  • Wilian Pereira dos Santos



Nota:

Aos que não foram aprovados, havendo disponibilidade financeira a partir de novos projetos
outros candidatos poderão ser chamados. Não se sintam desencorajados a tentar novamente no futuro. A seleção foi extremamente disputada e apenas selecionamos os perfis que melhor se encaixam agora no C3SL.

Chamada de repescagem do processo seletivo 03/2022

Os candidatos que não foram selecionados para as entrevistas da semana de 18-22/04 serão convidados agora para outra chamada nos dias a seguir na seguinte ordem:


Quarta-feira (27/04)

11:00h
Inelder Roberto Lima
Daniel Henrique Vieira
Victor Emmanuel de Souza Ribeiro

11:30h
Antônio Henrique Gonçalves Pereira
Edison Luiz Matias Júnior

Quinta-feira (28/04)

11:00h
Raphael Augusto Surmacz
Mardoqueu Freire Nunes
Yasmin de Campos Fernandes
Pedro Vinícius Sousa da Silva

As entrevistas serão realizadas na sala do C3SL em frente aos laboratórios do Dinf.

Boa sorte a todos!

Convocação para as entrevistas da chamada de seleção de novos bolsistas 03/2022

As entrevistas serão realizadas na sala do C3SL em frente aos laboratórios do térreo do dinf, na seguinte ordem nos seguintes horários e dias:

Terça-feira (19/04)

9:30h
Anderson Aparecido do Carmo Frasão
Arthur Henrique Canello Vilar
Bruno Aziz Spring Machado

10:00h
Bruno Dal Pontte
Dante Eleuterio dos Santos
Diogo Henrique de Almeida

10:30h
Eduardo Henrique Trevisan
Eduardo Stefanel Paludo
Fernando Gbur dos Santos

11:00h
Guilherme Carbonari Boneti
Iago Mello Floriano
João Pedro Kieras Oliveira

11:30h
Vinícius Fontoura de Abreu
Vinícius Hedeyoshi Correa Yoshida
Wilian Pereira dos Santos

Quarta-feira (20/04)

9:30h
Leon Augusto Okida Gonçalves
Lewis Guilherme Theophilo Geraldo
Luan Matheus Trindade Dalmazo

10:00h
Lucas Correia de Araújo
Lucas Müller
Lucas Soni Teixeira

10:30h
Marcus Vinícius Reisdoefer Pereira
Mateus Kater Pombeiro
Matheus Gimenes da Silva Viana

11:00h
Matheus Henrique Jandre Ferraz
Muriki Gusmão Yamanaka
Pedro Willian Aguiar

11:30h
Ronald Batista Gambini Lacerda
Thalita Maria do Nascimento
Thomas Bianchi Todt

Próxima semana (25-29/04)

Candidatos que não foram selecionados na primeira etapa terão outra oportunidade nessa semana, portanto, fiquem atentos, vocês ainda podem participar!

Boa sorte a todos.

(EDITADO) CHAMADA PARA SELEÇÃO DE NOVOS BOLSISTAS 03/2022

EDITADO: Estendemos o prazo de inscrição até sexta-feira (08/04/22)

O C3SL está com vagas abertas para alunos da UFPR.

São bolsas de pesquisa para alunos de graduação e pós dos cursos de Ciência da Computação e Informática Biomédica. É necessário que o aluno tenha disponibilidade para se dedicar 20 horas semanais, com atividades presenciais.

Os bolsistas atuarão nos projetos de pesquisa e desenvolvimento do C3SL, localizado no Departamento de Informática da UFPR. Os candidatos que participaram de seleções anteriores podem realizar o processo seletivo novamente para melhorar sua nota.

Informações sobre da Candidatura, Inscrição, Seleção e Resultados são encontradas na Chamada 03/2022 e Edital de Seleção.

Confira o nosso guia do candidato

A documentação pode ser entregue por e-mail (com toda a documentação em anexo) para selecao@c3sl.ufpr.br com o título “[C3SL] Inscrição para seleção de bolsa”.

O Edital sofreu alterações e uma declaração de não recebimento de bolsa é necessária (em anexo no Edital).

O prazo para envio do email é até 06 de Abril!

As entrevistas serão realizadas presencialmente ou por videoconferência. Aguarde informações por e-mail.

C3SL lança edital de fluxo contínuo para seleção de bolsistas

O Centro de Computação Científica e Software livre divulgou nesta quinta-feira (27) um edital para formação de cadastro e seleção de bolsistas de graduação, pós-graduação e pós-doutorado em fluxo contínuo. O edital norteará as chamadas que acontecerão ao longo do ano e que serão publicadas no site do C3SL conforme a demanda dos projetos em execução ou em decorrência do início de projetos novos.

Confira o edital aqui.

C3SL na mídia: sites registram importância do software livre

O portal de notícias paranaense Plural, publicou recentemente uma notícia sobre a importância da UFPR para o software livre, apresentando o papel do Departamento de Informática da universidade e do próprio C3SL na distribuição de espelhos.
A reportagem do jornalista Rodrigo Ghedin também está disponível no Manual do Usuário.
O site da UFPR também publicou uma notícia sobre o grupo de pesquisa, confira aqui.

Plataforma MEC RED é um dos projetos vencedores do Open Government Awards

A Parceria para Governo Aberto (OGP) anunciou na última quarta-feira (15/12) os compromissos vencedores do prêmio Open Government Awards, promovido como parte da comemoração de 10 anos da OGP. Entre os projetos selecionados, a plataforma integrada MEC Recursos Educacionais Digitais, desenvolvida pelo Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL), recebeu o 2º lugar. 

Os vencedores, em cada região e modalidade, foram anunciados  na 7ª Conferência Global da OGP (Global Summit), realizada em modo remoto. As premiações “Open Government Awards 2021” são uma forma de reconhecer o trabalho e o comprometimento de atores de diferentes países e regiões que atuaram ativamente na implementação de reformas de governo aberto para promover os princípios de transparência, accountability, participação social e inovação tecnológica.

Foram 45 compromissos inscritos no âmbito nacional e 60 na esfera local que concorreram nas nas modalidades OGP Impact Awards e OGP Local Innovation Awards.

Sobre a plataforma MEC RED

A plataforma integrada MEC Recursos Educacionais Digitais tem a proposta de reunir e disponibilizar, em um único lugar, os Recursos Educacionais Digitais dos principais portais do Brasil. Com o objetivo de melhorar a experiência de busca desses Recursos, a Plataforma foi desenvolvida numa parceria coletiva entre: Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e professoras(es) da Educação Básica de todo o Brasil.

Como um espaço construído por e para professores, a plataforma visa dialogar com a realidade dentro e fora da sala de aula, criar um ambiente colaborativo e de compartilhamento. A Plataforma Integrada disponibiliza mais de 321 mil Recursos Educacionais Digitais para alunos e profissionais da educação. 

Para o desenvolvimento da plataforma, dada a complexidade envolvida na construção de uma rede social, foram mobilizados mais de 30 alunos bolsistas e praticamente todos os pesquisadores do C3SL participaram da elaboração do MEC RED.

C3SL obtém credenciamento para receber recursos via Lei de Informática

O Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL) obteve a aprovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) para que o Departamento de Informática possa receber recursos via Lei de Informática.

A Lei é um mecanismo de incentivo ao desenvolvimento científico e tecnológico que atua por dedução de impostos às empresas que investem em Pesquisa e Desenvolvimento. Cadastradas junto ao MCTI, as organizações podem redirecionar parte dos impostos que seriam pagos ao governo diretamente às instituições de ciência e tecnologia parceiras. 

Com isso, não apenas o C3SL, mas também o DInf da UFPR e seus pesquisadores de maneira geral podem desenvolver projetos em parceria com a iniciativa privada, recebendo, em troca, recursos que podem ser convertidos em melhorias na estrutura e avanços nas pesquisas. 

Fabiano Silva, chefe do Departamento de Informática da UFPR e professor associado ao C3SL, ressalta que esta conquista beneficia tanto o C3SL e o Departamento de Informática quanto a própria universidade, que também recebe uma parcela dos recursos. “É um passo importante dado pelo C3SL para abrir portas para o grupo, mas também para outros pesquisadores do departamento e também de outras áreas da universidade, já que podem ser viabilizadas pela Lei pesquisas de várias áreas, desde que tenham interface com a informática”.

O professor André Grégio, que encaminhou a solicitação e deu andamento ao processo para obter o credenciamento, reforça a ampla gama de possibilidades que nasce com a inclusão do DInf entre as instituições aceitas pela Lei de Informática. “É uma novidade que impacta o departamento e todo o setor de maneira geral. Por exemplo, ao empregarmos os recursos obtidos com projetos viabilizados pela Lei da Informática para realizar um upgrade no nosso datacenter, que atende múltiplos departamentos, é a universidade toda que se beneficia”, diz. 

Além dos resultados diretos no sentido de adquirir equipamentos de ponta e desenvolver projetos, soluções e tecnologias, as parcerias com a iniciativa privada também permitirão expandir os horizontes de pesquisa e proporcionar aos alunos a ampliação do conhecimento aplicado a diferentes nichos do mercado. 

Após finalizados os projetos, o conhecimento produzido com essas parcerias poderá gerar resultados de propriedade intelectual para as empresas e  pesquisadores envolvidos, dependendo do contrato previamente estabelecido. “Praticamente todos os produtos da área de informática são importados. Com o incentivo da Lei de Informática, podemos trabalhar para desenvolver soluções nossas, brasileiras, que atendam as demandas das empresas e fomentem a formação de recursos humanos especializados no país”, detalha Grégio.

A confirmação do credenciamento foi publicada no Diário Oficial da União, através da Resolução nº 215/2021 do Comitê da Área de Tecnologia da Informação. O credenciamento será válido por dois anos e é passível de renovação após esse período. 

Lei de Informática e impactos

A chamada Lei de Informática é na verdade um conjunto de normas. As primeiras a serem promulgadas foram as Leis nº 8.248/91 e nº 8.387/91, que posteriormente foram alteradas pelo Decreto 5.906/06 e pelas Leis nº 10.176/01, 13.674/18 e 13.969/19. 

Voltada para empresas que têm investimentos concretos e comprovados em Pesquisa e Desenvolvimento, a Lei de Informática atua por meio de créditos financeiros para investimentos em inovação no setor de Tecnologia da Informação e Computação. Assim, para que possam participar, o projeto desenvolvido deve ser relacionado à informática, ainda que na interface com outros setores – como, por exemplo, inteligência artificial, softwares de segurança, aprendizado de máquina, entre outros, empregados em projeto de saúde, segurança, educação, entre outros. 

Para as universidades credenciadas, essa aproximação com a iniciativa privada permitida pela Lei de Informática significa encontrar um modelo sustentável de captação de recursos sem romper com a autonomia universitária e também permite desestigmatizar o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores, mostrando que estes podem fornecer entregas rápidas e altamente qualificadas.

Além disso, contribui para romper com o estigma de que o conhecimento produzido nessas instituições fica dentro dos muros das mesmas, já que, embora sejam o berço da inovação no Brasil, as universidades nem sempre são reconhecidas como tal.